NOTÍCIAS

Professora Joana Félix foi condenada por não prestar contas à Fapesp

18/05/2019
Da Redação |  Folha
Foto: Divulgação
Postado por:  Gabriela Buranelli
 
Alvo de polêmica após a revelação de que não tinha pós-doutorado em Harvard, a pesquisadora Joana DArc Félix de Sousa já foi condenada pela Justiça paulista a devolver R$ 278 mil à Fapesp (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo) por não prestar contas de auxílios recebidos em uma pesquisa realizada em 2007. Com juros e multa, o valor devido foi calculado em 2014 em R$ 369.294,42.
 
Sua vida estava cotada para virar filme em co-produção da atriz Taís Araújo. Na última terça-feira (14), o jornal O Estado de S. Paulo revelou que ela na verdade não concluiu um pós-doutorado em Harvard, como estava informado em seu currículo Lattes. A informação foi modificada, citando o curso como "interrompido".
 
A sentença, de fevereiro de 2013, é da 14ª Vara da Fazenda Pública da Capital e foi proferida pelo juiz Randolfo Ferraz de Campos. Na decisão, o magistrado diz que, além da ausência da prestação de contas, há ainda irregularidades nas contas que eventualmente foram prestadas pela pesquisadora de Franca (400 km de São Paulo).
A Justiça cobrou de Joana o ressarcimento dos valores em ao menos sete despachos entre 2013 e 2016, sem que houvesse manifestação da ré. Em maio de 2017, a ação foi suspensa por tempo indeterminado porque ela não possuía bens no valor da ação para serem penhorados.
 
A Fapesp informou, por meio de sua assessoria de imprensa, que não comenta ações na Justiça. A pesquisa de Joana —sob o título "Valorização de resíduos sólidos classe 1 de curtumes, fábricas de calçados e artefatos (retalhos de couros em semi-acabado e acabado)" recebeu auxílio no Programa Pequenas Empresas do órgão.